Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages
O Projeto

O projeto “Rede Solidária de Mulheres de Sergipe” é uma iniciativa da Associação das Catadoras de Mangaba e Indiaroba (Ascamai), com patrocínio do Programa Petrobras Socioambiental, e que tem por objetivo promover o desenvolvimento de competências sócioprofissionais, numa perspectiva de educação para o trabalho, enfatizando a valorização dos usos tradicionais e saberes da sociobiodiversidade.

Sua área de abrangência corresponde a três áreas urbanas e nove povoados situados nos municípios de Carmópolis, Indiaroba, Estância, Barra dos Coqueiros, Pirambu, Japaratuba, localizados em áreas da Mata Atlântica de Restinga no estado de Sergipe. A proposta visa desenvolver habilidades e competências para o trabalho por meio de processos educativos que estimulem a ampliação de oportunidades de inserção profissional para 400 mulheres nas localidades descritas acima.

O projeto é desenvolvido com a participação direta dos membros das comunidades envolvidas e por uma equipe técnica permanente do projeto, tendo em vista que a formação para trabalho necessita de estratégias teóricas e práticas, levando em consideração o conhecimento cultural e tradicional, habilidades e competências desenvolvidas pelos grupos comunitários. Portanto, a metodologia adotada é participativa a partir do estudo da realidade e das condições de vida dos grupos.

Neste sentido, a metodologia respeitará a diversidade do tipo de trabalho, da vocação das comunidades e das potencialidades de produção, porém, com alguns recortes: 1. Produzir sem explorar o ambiente a níveis de degradação e que não coloquem em risco a extinção das espécies; 2. Quem produz em sua maior parte são mulheres, como chefes de família e, portanto, as questões de gênero, da violência doméstica, dos direitos reprodutivos, serão discutidos transversalmente nas oficinas.

A igualdade e equidade de gênero e, racial, são recortes importantes para as participantes se sentirem incluídos em processos de geração de renda para reconstruir sua identidade cultural e sua condição de produção econômica. Mais de 60% da população que vive nos municípios da área de abrangência do projeto são de negros e negras e, constituem os grupos mais vulneráveis e excluídos dos postos de trabalho. O projeto tem o compromisso com essa população e coloca como grupos principais de envolvimento nas comunidades.